A NOÇÃO DE GOVERNANÇA: UMA MESOCATEGORIA DA AÇÃO COLETIVA

Anete B. L. Ivo

Resumo


Este artigo examina as origens e os limites da noção de governança, como uma mesocategoria da ação coletiva de caráter polissêmico, observando contextos políticos distintos, ou seja, do neoliberalismo às tendências contra-hegemônicas de lutas e demandas da cidadania nos territórios. O esforço analítico relaciona a noção de governança com as práticas, discursivas e conceituais, politicamente ‘situadas’, que estabelecem relações dialéticas entre conhecimento e política, sob a forma de conflitos cognitivos sobre a regulação social nos territórios e os direitos de grupos sociais em disputa. Trata-se de observar os arranjos de governança quanto às relações de poder, cuja dinâmica não se restringe exclusivamente ao Estado, mas envolve forças sociais em conflito, mediadas por processos cognitivos e simbólicos de construção da hegemonia na política.


Palavras-chave


Governança. Mesocategorias Sociais. Ação Coletiva. Teoria Social. Neoliberalismo.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ACCARDO, A; CORCUFF, P. La Sociologie de Bourdieu, (textes choisis et commentés). 2. ed. Bordeaux-Fr: Editions Le Mascaret, 1986.

ACOSTA, Alerto. O Buen vivir - uma oportunidade de imaginar um outro mundo. In: Um campeão visto de perto. Uma análise do modelo de desenvolvimento brasileiro. Rio de Janeiro: Heirich Böll Foundation, 2012. p. 198- 216. (Série Democracia, 16 jul. 2012).

CAVALCANTI, Ana Claudia R. A difusão da agenda urbana das agências multilaterais de desenvolvimento na cidade de Recife. 2008, 213 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, 2012.

COLEMAN, James. S. Social Capital in the Creation of Human Capital. American Journal of Sociology. v. 94, p. 95-120, 1988.

FOUCAULT, Michel. A governamentalidade. In: Michel FOUCAULT. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979. p.277-293.

HAAS, Peter. Introduction: Epistemic Communities and International Polity Coordination. International Organization, v. 46, n. 01, p. 01-35, 1992.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1999.

HYDEN, Goran; BRATTON, Michael (ed.) Governance and the Study of Politics. In: Goran Hyden e Michael Bratton (eds.) Governance and Politics in Africa. Boulder, Colorado: Lynne Rienner, 1992.

IPEA. Estado, instituições e democracia: democracia. Brasília: Ipea, 2010. Liv. 9, v. 2.

IVO, Anete B. L. Uma racionalidade constrangida: uma experiência de governança urbana em Salvador. Caderno CRH, Salvador, n. 26/27, p.107-145, 1997.

IVO, Anete B. L. L´expérience de gouvernance urbaine à Salvador de Bahia. Les Annales de la Recherche Urbaine, Paris, nº 80-81, p. 55-63, déc. 1998.

IVO, Anete B. L. Metamorfoses da questão democrática. Governabilidade e pobreza. Buenos Aires: CLACSO; ASDI, 2001.

IVO, Anete B. L. Recomposição Política, Comunidade Cívica e Governança Urbana. Cadernos Metrópole, São Paulo: EDUC, v. 8, p. 9-38, 2002.

IVO, Anete B. L. A reconversão do social: dilemas da redistribuição no tratamento focalizado. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 18, n.2, p. 57-67, 2004.

IVO, Anete B. L. Viver por um fio: pobreza e política social. São Paulo: Annablume Editora, 2008.

IVO, Anete B. L. Agências multilaterais de desenvolvimento e comunidades epistêmicas. Cadernos do CEAS, n.235, p. 129-152, 2015.

IVO, Anete B. L. A noção de governança. Um novo regime de ação para o desenvolvimento sustentável e a produção das ciências sociais. In: Anete B. L. Ivo. (org.). A reinvenção do desenvolvimento: agências multilaterais e produção sociológica. Salvador: EDUFBA, 2016. p. 37-104.

LAUTIER, Bruno. O consenso sobre as políticas sociais na América Latina, negação da democracia? Caderno CRH, Salvador, v.23, n.59, p.353-368, maio-ago. 2010.

LOFCHIE, Michael F. Perestroika Without Glasnost: Reflections on Structural Adjustment. In: Beyong Autocracy in Africa. Work in Papers from the Inaugural Seminar of the Governance in Africa Programme, The Carter Center of Emory University. Atlanta, Georgia, February 17-18, 1989.

MARQUES, Eduardo. Redes sociais no Brasil. Belo Horizonte: Argumentum, 2012.

MARQUES, Eduardo. A metrópole de São Paulo no século XXI: espaços, heterogeneidades e desigualdades. São Paulo: Editora Unesp; CEM, 2015.

McCARNEY, Patricia; HALFANI, Mohamed; RODRIGUEZ, Alfredo. Hacia uma definición de ‘governanza’. Proposiciones, Santiago do Chile, n. 28, p. 118-155, 1998.

MOORE, Mick. Introduction. IDS Bulletin. Institute of Development Studies, Brighton - UK, v. 24 n.1, p. 1-6, 1 jan., 1993.

OSMOND, Anick. La gouvernance: concept mou, politique ferme. Les Annales de La Recherche Urbaine, Paris, n. 80-81, p. 19-26, déc. 1998.

RHODES, R. A. W. The New Governance: Governing Without the Government. Political Studies Association, United Kingdom, v.44, n. 4, p. 652-667, sep. 1996.

SALAZAR, G. De la participación ciudadana: capital social constante y capital variable (explorando senderos transliberais). Proposiciones, Santiago Chile, n.28, p.156-183, 1998.

SIMIONATO, I. Razões para continuar utilizando a categoria sociedade civil. In: CANTOIA LUIZ, D. E. (org.). Sociedade civil e democracia: expressões contemporâneas. São Paulo: Veras Editora, 2010

WILLIAM, David; YOUNG, Tom. Governance, the World Bank and Liberal Theory. Political Studies, XLII, p. 84-100, 1994.

WORLD BANK. Sub-Saharan Africa. From Crisis to Sustainable Growth. Washington: World Bank, 1989.

WORLD BANK. Governance and Development. Washington: World Bank, 1992.

WORLD BANK. Governance: The World Bank´s Experience. Washington: World Bank, 1994.

WORLD BANK. The State in a Changing World. World Development Report 1997. Oxford: Oxford University Press; Washington: World Bank, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2020.n249.p63-82

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cadernos do CEAS: Revista Crítica de Humanidades
CEAS | UCSal | UNICAP
PPG em Políticas Sociais e Cidadania
Av. Cardeal da Silva, 205 – Federação.
CEP. 40231-902, Salvador, Bahia, Brasil.
E-mail: cadernosdoceas@gmail.com
ISSN (online): 2447-861X 

 

INDEXAÇÃO/DIVULGAÇÃO

Bases de Dados/Diretórios

  |  | 

 

Portais

 |   |

 

Filiação/Suporte Técnico/Identificador

 |  | 

 

Plataforma

 

Redes Sociais