Trabalho, riqueza e dominação no sertão do Nordeste do Brasil

Gerardo Clesio Maia Arruda

Resumo


Neste artigo é realizada uma discussão histórica das relações de trabalho na zona rural do semi-árido, alicerçadas na exploração da terra através da parceria, na produção agrícola de base familiar e no trabalho do vaqueiro. As análises se alicerçam em ocupações, constituídas na exploração produtiva deste espaço do Nordeste, que se encontram na base da formação econômica e das condições de reprodução dos trabalhadores. Com isto, busca-se trazer elementos que contribuam para a compreensão da estrutura social do semi-árido, a partir das relações de trabalho e da teia de interações sociais que aí se estabelecem, pontilhando-se elementos que possibilitem uma reflexão acerca da distribuição da riqueza produzida.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2005.n219.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cadernos do CEAS: Revista Crítica de Humanidades
CEAS | UCSal | UNICAP
PPG em Políticas Sociais e Cidadania
Av. Cardeal da Silva, 205 – Federação.
CEP. 40231-902, Salvador, Bahia, Brasil.
E-mail: cadernosdoceas@gmail.com
ISSN (online): 2447-861X 

 

INDEXAÇÃO/DIVULGAÇÃO

Bases de Dados/Diretórios

  |  | 

 

Portais

 |   |

 

Filiação/Suporte Técnico/Identificador

 |  | 

 

Plataforma

 

Redes Sociais