MULHERES E LUTA POR MORADIA MUDANÇAS NAS PRÁTICAS ASSOCIATIVAS NAS PERIFERIAS DE FLORIANÓPOLIS E LISBOA

Francisco Canella

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar as transformações em ocorridas em localidades surgidas de lutas por moradia em dois países.  A partir de dados coletados no Brasil (no bairro Monte Cristo, em Florianópolis) e em Lisboa (na Cova da Moura, na área metropolitana de Lisboa), pretende-se identificar elementos que permitam a compreensão das transformações por que passaram as práticas associativas nessas localidades. Tendo como base a observação etnográfica e entrevistas com lideranças, a análise das duas localidades permitiu identificar alguns traços comuns, os quais são de fundamental importância para a elucidação do processo de reconfiguração territorial pelo qual passa a população dessas áreas no período decorrido entre a conquista da moradia e a consolidação de uma nova forma de produzir as suas condições de existência no bairro. De um lado, as mudanças nas práticas associativas, e de outro, a permanência da participação das mulheres nesses movimentos que envolvem a moradia.


Palavras-chave


Movimentos sociais urbanos. Mulheres. Periferia urbana. Práticas associativas. Luta por moradia.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALVAREZ, Sonia; DAGNINO, Evelise; ESCOBAR, Arturo (org.). Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos: novas leituras. Belo Horizonte, Ed. UFMG, 2000.

BILAC, Elisabete Doria. Família: algumas inquietações. In: CARVALHO, Maria do Carmo Brant de (Org.). A família contemporânea em debate. São Paulo: Educ, 2003, p. 29-37.

BORGES, Antonádia. Mulheres e suas casas: reflexões etnográficas a partir do Brasil e da África do Sul. Cadernos Pagu, Campinas, n. 40, p. 197-227, jan./jun. 2013.

BURITY, Joanildo A. Cultura e identidade nas políticas de inclusão social. In: AMARAL Jr., Aécio. Inclusão social, identidade e diferença: perspectivas pós-estruturalistas de análise social. São Paulo: Annablume, 2006.

CANELLA, Francisco. Entre o local e a cidade: memórias e experiências de duas gerações de moradores da periferia urbana em Florianópolis (1990-2010). Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – UERJ, Rio de Janeiro, RJ, 2011.

CANELLA, Francisco. A UFECO e o Movimento dos Sem-Teto: práticas instituintes nos espaços políticos da cidade. 1992. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1992.

CANELLA, Francisco; GALLARDO, Francisco José C. Mulheres e luta por moradia em Lisboa e Florianópolis, História Oral, v. 20, n. 2, p. 129-150, jul./dez. 2017

CUBEROS, Francisco José. Cova da Moura: inmigración caboverdiana y asociacionismo en la periferia de Lisboa. AIBR: Revista de Antropología Iberoamericana, v. 10, n. 2, p. 177-202, 2015.

GOHN, Maria da Glória. A força da periferia: a luta das mulheres por creches em São Paulo. Petrópolis: Vozes, 1985.

GOHN, Maria da Glória. Mulheres – atrizes dos movimentos sociais: relações político-culturais e debate teórico no processo democrático. Política & Sociedade, Florianópolis, v. 6, n. 11, p. 41-70, out. 2007.

HONDAGNEU-SOTELO, Pierrett. Gendered transitions: Mexican experiences of immi-gration. Berkeley: University of California Press, 1994.

HUNTER, Albert. Private, parochial and public social orders: the problem of crime and incivility in urban communities. In: SUTTLES,Gerald D.; ZALD, Mayer N. (Ed.). The challenge of social control. Norwood: Ablex Publishers, 1985.

LISBOA, Teresa Kleba. Mulheres migrantes no sul do Brasil e seu processo de empoderamento. Revista Katalysis, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 12-26, 2002.

MACEDO FILHO, Renato; REGINO, Fabiane Alves. Mulheres, mães e movimento sem teto: o discurso maternalista e a construção da cidadania. In: SEMINÁRIO INTERNACIO¬NAL FAZENDO GÊNERO, 9, 2010, Florianópolis. Anais..., 2010.

MACEDO, Márcia dos Santos. Relações de gênero no contexto urbano: um olhar sobre as mulheres. In: GTGÊNERO; PLATAFORMA CONTRAPARTES NOVIB (Org.). Pers¬pectivas de gênero: debates para as ONGs. Recife: GTGênero; Plataforma de Contrapartes Novib; SOS Corpo Gênero e Cidadania, 2002. v. 1, p. 56-79.

MENDES, Luís Filipe. Urbanização clandestina e fragmentação socio-espacial urbana contemporânea: o Bairro da Cova da Moura na periferia de Lisboa. Revista da Faculdade de Letras – Geografia – Universidade do Porto. II Série, Volume II, 2008 – pp. 57-82.

MOREIRA, Marianna Fernandes. Mulheres sem-teto e a geografia da família: relações interdomésticas, gênero e reciprocidade. Espaço e Cultura, Rio de Janeiro, n. 34, p. 83-122, jul./dez. 2013.

NEUHOLD, Roberta dos Reis. Os movimentos de moradia e sem-teto e as ocupações de imóveis ociosos: a luta por políticas públicas habitacionais na área central da cidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – USP, São Paulo, SP, 2009.

PIRES, R. Pena et al. Os retornados: um estudo sociográfico. Lisboa: I.E.D., 1987.

PINTO, Céli Regina. Movimentos sociais: espaços privilegiados da mulher enquanto sujeito político. In: COSTA, Albertina; BRUSCHINI, Cristina (Org.). Uma questão de gênero. São Paulo: Rosa dos Tempos; Fundação Carlos Chagas, 1992. p. 127-150.

ROSEMBERG, Fúlvia. O movimento de mulheres e a abertura política no Brasil: o caso da creche – 1984. In: Rosemberg, Fúlvia (Org.). Temas em destaque: creche. São Paulo: Cortez; Fundação Carlos Chagas, 1989. p. 90-102.

SADER, Eder. Quando novos personagens entraram em cena. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SASSEN, Saskia. Contrageografías de la globalización: género y ciudadanía en los circuitos transfonterizos. Madrid: Traficantes de Sueños, 2003.

SOUZA-LOBO, Elizabeth. A classe operária tem dois sexos. São Paulo: Brasiliense, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2020.n251.p658-674

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cadernos do CEAS: Revista Crítica de Humanidades
CEAS | UCSal | UNICAP
PPG em Políticas Sociais e Cidadania
Av. Cardeal da Silva, 205 – Federação.
CEP. 40231-902, Salvador, Bahia, Brasil.
E-mail: cadernosdoceas@gmail.com
ISSN (online): 2447-861X 

 

INDEXAÇÃO/DIVULGAÇÃO

Bases de Dados/Diretórios

  |  | 

 

Portais

 |   |

 

Filiação/Suporte Técnico/Identificador

 |  | 

 

Plataforma

 

Redes Sociais