CONVIVÊNCIA, AFETIVIDADES E EDUCAÇÃO PARA PAZ COMO ELEMENTOS DE PRÁTICAS EDUCATIVAS NÃO ESCOLARES EM CONTEXTOS DE VIOLÊNCIAS

Lucas Salgueiro Lopes, Arthur Vianna Ferreira

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo investigar de que maneira as práticas educativas não escolares podem atuar como uma ferramenta potente nas regiões de vulnerabilidade social, de forma específica, em sua relação com o contexto de violências cotidianas vistas a partir de estudo realizado no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo-RJ. Assim, este artigo se utiliza de um referencial teórico do campo da Pedagogia Social de Xesús Jares (2002; 2007; 2008), da Psicologia, de Mahoney e Almeida (2015), da Sociologia, como com Johan Galtung (1969; 2016) e da Filosofia, como com Byung-Chul Han (2017a; 2017b). Assim, tais autores auxiliam na delimitação e desenvolvimento de práticas de ensino-aprendizagem que denominamos Educação para Paz-Cidadania (LOPES, 2019). Para o diálogo com esses referenciais, utiliza-se a realidade expressa em duas pesquisas de campo anteriores: Ferreira e Lopes (2019) e Lopes (2019); nessas pesquisas, a metodologia utilizada foi a de observação de campo a partir da fenomenologia de Edmund Husserl. Dessa forma, busca-se ampliar a compreensão de conceitos como o de violências e suas possíveis articulações nas práticas socioeducativas dos indivíduos e nas relações de ensino-aprendizagem existentes nas regiões periféricas. Os resultados deste artigo apontam para a importância da atuação do terceiro setor nas práticas educativas das camadas empobrecidas, tal como para a possibilidade e importância de práticas de ensino-aprendizagem carregadas de valores ligados à convivência democrática, à afetividade, à paz positiva, à cidadania, entre outros elementos que possam gerar resultados favoráveis visando às demandas específicas dos educandos e da comunidade no seu entorno.

 


Palavras-chave


Sociologia da Violência. Convivência. Afetividades. Educação para Paz-Cidadania.

Texto completo:

PDF/A

Referências


BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. de L. T. Psicologias – Uma introdução ao estudo da Psicologia. São Paulo: Editora Saraiva, 2001.

BOURDIEU, P.; CHAMPAGNE, P. Os excluídos do interior. In: BOURDIEU, Pierre. A Miséria do Mundo. Petrópolis: Editora Vozes, 2001.

BRAGHIROLLI, E. M.; PEREIRA, S.; RIZZON, L. A. Temas de Psicologia Social. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

CALIMAN, G. Pedagogia Social: seu potencial crítico e transformador. Revista de Ciências da Educação, Americana, n. 23, p. 341-368, 2010.

COSTA, G. V. L. da. Das Fronteiras Nacionais às Fronteiras Internas: Segurança, Ordem e Tutela Militar no Brasil. Revista TOMO, São Cristóvão, Sergipe, Brasil, n. 35, p. 7-46, jul./dez. 2019.

DECRETO Nº 45.186, de 17 DE MARÇO de 2015. Disponível em: http://www.silep.planejamento.rj.gov.br/decreto_45_186_-_17032015_-_re.htm. Acesso em 18 de dezembro de 2019.

DEPRAZ, N. Compreender Husserl. Petrópolis: Vozes, 2011.

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.grupoa.com.br/. Acesso em 03 de janeiro de 2020.

FERNANDES JUNIOR, G. L. A metropolização da criminalidade com a territorialização das UPPs: da migração a expansão. Rev. Tamoios, São Gonçalo (RJ), ano 12, n. 1, págs. 20-42, jan/jun, 2016.

FERREIRA, A. V. Pedagogia social e docência ampliada no processo de formação inicial. In: FERREIRA, A. V (org.). Dentro ou fora da sala de aula? O lugar da Pedagogia Social. Curitiba: CRV, 2018.

FERREIRA, A. V.; SILVA, J. V. de A. Onde tem uma comunidade pobre nem sempre tem uma comunidade educativa. A pedagogia social e os espaços educativos em São Gonçalo. IX Seminário Internacional Redes Educativas e Tecnologias. Rio de Janeiro. 2017.

FERREIRA, A. V.; LOPES, L. S. O uso das afetividades em Wallon e as práticas socioeducativas de um projeto social em São Gonçalo-RJ. Revista Debates em Educação, Maceió, Vol. 11, nº. 25, set./dez., 2019, p. 1-21.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

G1 – Portal de Notícias da Globo. Disponível em: https://g1.globo.com/. Acesso em 26 de dezembro de 2019.

GADOTTI, M. Escola Cidadã: Educação para e pela Cidadania. Acervo do Centro de Referência Paulo Freire, São Paulo, p. 1-12, 2012.

GALTUNG, J. Violence, Peace and Peace Research. Journal of Peace Research, Noruega, vol. 6, n. 3, p. 167-191, 1969.

GALTUNG, J. La violencia: cultural, estructural y directa. Cuadernos de estratégia. Espanha, n. 183, p. 147-168, 2016.

GAZETA DO POVO. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/. Acesso em 03 de janeiro de 2020.

HAN, B. Sociedade do Cansaço. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017a.

HAN, B. Topologia da Violência. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017b.

ISP Visualização – Instituto de Segurança Pública. Disponível em: http://www.ispvisualizacao.rj.gov.br/. Acesso em 18 de dezembro de 2019.

JARES, X. R. Educação para a Paz: sua teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JARES, X. R. Educar para a paz em tempos difíceis. São Paulo: Palas Athena, 2007.

JARES, X. R. Pedagogia da Convivência. São Paulo: Palas Athena, 2008.

LOPES, L. S. EDUCAÇÃO PARA PAZ-CIDADANIA: as (possíveis) práticas socioeducativas num pré-vestibular comunitário no Complexo do Salgueiro em São Gonçalo-RJ. In: FERREIRA, Arthur Vianna; LOPES, Lucas Salgueiro; DIAS, Thiago Simão (Org.). Fora da Sala de Aula: Formação Docente e Pesquisas sobre Pobreza e Educação. 1. ed. Rio de Janeiro: Autografia, 2019, p. 54-81.

LOPES, L. S.; FERREIRA, A. V. A fenomenologia como possibilidade de método investigativo em pesquisas educacionais. MOVIMENTO – Revista de Educação. Niterói: ano 6, nº 10, p. 219-238, jan./jun., 2019.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA; L. R. de. Afetividade e processo ensino-aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Psicologia da Educação, São Paulo, 20, p. 11-30, 2015.

MORAES, J. M. B. Espaço do trabalho e mudanças socioespaciais: a reconstrução dos espaços urbano-fabris no município de São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro. Meridiano - Revista de Geografia, v. 03, p. 67-82, Buenos Aires, Argentina, 2014.

MULLER, J. M. Não violência na educação. São Paulo: Pala Athena, 2006.

OLIVEIRA, J. P. de. Pacificação e Tutela Militar na Gestão de Populações e Territórios. Mana, Vol. 20, no 1, pp. 125-161, 2014.

PARO, V. H. Transformação Social e Educação Escolar. In: PARO, Vitor Henrique. Administração Escolar: introdução crítica. – 17. ed. ver. e ampl. – São Paulo: Cortez, 2012.

PESCAROLO, J. K. Sociologia Urbana e da Violência. Curitiba: Intersaberes, 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. São Gonçalo Panorama. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/sao-goncalo/panorama. Acesso em 27 de junho de 2019.

TAUFER, L. Atravessando Fronteiras: da guerrilha urbana na Alemanha ao trabalho comunitário em favelas no Brasil. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2021.n252.p74-102

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cadernos do CEAS: Revista Crítica de Humanidades
CEAS | UCSal | UNICAP
PPG em Políticas Sociais e Cidadania
Av. Cardeal da Silva, 205 – Federação.
CEP. 40231-902, Salvador, Bahia, Brasil.
E-mail: cadernosdoceas@gmail.com
ISSN (online): 2447-861X 

 

INDEXAÇÃO/DIVULGAÇÃO

Bases de Dados/Diretórios

  |  | 

 

Portais

 |   |

 

Filiação/Suporte Técnico/Identificador

 |  | 

 

Plataforma

 

Redes Sociais