TRABALHO E INSERÇÃO SOCIAL NO BRASIL: UM OLHAR A PARTIR DA ECONOMIA DOS SETORES POPULARES

Gabriel Kraychete, Vinicius Goncalves

Resumo


O artigo analisa, de um ponto de vista teórico e prático, as peculiaridades de uma realidade social que, no Brasil, se expressa sob a forma de uma economia dos setores populares, e as implicações dessa abordagem para a proposição de políticas de inserção social pelo trabalho, para além das ações voltadas para a integração via emprego regular assalariado, ou em apoio ao denominado empreendedorismo, como se houvesse uma relação de identidade entre a economia popular e a economia empresarial. Em consonância com a abordagem conceitual, realiza-se um tratamento das informações contidas na base de dados do IBGE, objetivando captar, de forma aproximada, a dimensão dessa economia dos setores populares nos diferentes estados do país, bem como as características das ocupações e o perfil dos seus trabalhadores no espaço urbano. A análise dessas questões supõe considerar as relações intrínsecas entre trabalho e cidadania.


Palavras-chave


Economia dos setores populares. Trabalho. Inserção social.

Texto completo:

PDF/A

Referências


BOURDIEU, P.; CHARTIER, R. O sociólogo e o historiador. Belo Horizonte: Autêntica Editora. 2015.

BOURDIEU, P. Os usos da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

BRAUDEL, F. Os Jogos das trocas. Lisboa: Rio de Janeiro: Cosmos, 1985

BRAUDEL, F. O tempo do mundo. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

CACCIAMALI, M. C. A economia informal 20 anos depois. Revista Indicadores Econômicos. FEE, Porto Alegre, n. 4, pp. 217-232, 1994.

CACCIAMALI, M. C. Globalização e Processo de Informalidade. Revista Economia e Sociedade. Campinas, n. 14, pp.153-174, jun., 2000.

CARDOSO, A. A construção da sociedade do trabalho no Brasil. Uma investigação sobre a persistência secular das desigualdades no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, (E-book) 2010.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social. Uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASTEL, R. As transformações da questão social. In: BELFIORI. W. M; YAZBEK. M. C.; BÓGUS, L. (Orgs). Desigualdade e questão social. São Paulo: EDUC, 2013.

CORAGGIO, J. L. Economia Urbana: la perspectiva popular. Quito: Propuestas, 1998.

CORAGGIO, J. L. Da economia dos setores populares à economia do trabalho. In: KRAYCHETE, G. (Org.). Economia dos setores populares: entre a realidade e a utopia. Petrópolis: Vozes; Rio de Janeiro: Capina; Salvador: CESE - UCSAL, 2000.

KRAYCHETE, G. (Org.). Economia dos setores populares: entre a realidade e a utopia. Petrópolis: Vozes; Rio de Janeiro: Capina; Salvador: CESE - UCSAL, 2000.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo. Ensaio sobre sociedade neoliberal. Boitempo, (E-book), 2016.

DELGADO, G. O setor de subsistência na economia e na sociedade brasileira: gênese histórica, reprodução e configuração contemporânea. In: RAMALHO, J. P.; ARROCHELLAS, M. H. (Orgs.). Desenvolvimento, subsistência e trabalho informal no Brasil. São Paulo: Cortez; Petrópolis, RJ: CAAL, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) 1992 a 2015. Disponível em https://www.ibge.gov.br/. Acesso em jan. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD - Contínua) 2012 a 2020. Disponível em https://www.ibge.gov.br/. Acesso em jan. 2018

IVO, A. B. L. Sociologia, Modernidade e questão social. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco, 2008(a)

IVO, Anete B.L. Viver por um fio. Pobreza e política social. São Paulo: Annablume; Salvador: CRH/UFBA, 2008(b)

KRAYCHETE, G. (Org.). Economia dos setores populares: entre a realidade e a utopia. Petrópolis: Vozes; Rio de Janeiro: Capina; Salvador: CESE - UCSAL, 2000.

KRAYCHETE, G. Economia dos Setores populares: o trabalho para além da norma salarial [e-book]. São Leopoldo: Oikos, 2021. Disponível em http://oikoseditora.com.br/files/Economia%20dos%20setores%20populares%20-%20E-book.pdf. Acesso em 08/07/2021

KRAYCHETE, G. Economia dos Setores Populares e inserção social pelo trabalho: a reprodução da vida para além da norma salarial. 2018. 252f. Tese (doutorado). Programa de Pós-Graduação em Política Social e Cidadania da Universidade Católica do Salvador, 2018.

KRAYCHETE, G. A produção de mercadorias por não mercadorias. Bahia Análise & Dados, Salvador, v.1Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, pp. 85-92, 2001.

KRAYCHETE, G. Categorias de análise do mundo do trabalho e dinâmica da economia dos setores populares: aderências e disjunções. Cadernos do CEAS, Salvador, n. 239, p. 892-910, set/dez 2016

LESSA, C. Os ovos da serpente. In: BURSZTYN, M. (Org.) No meio da rua: nômades, excluídos, viradores. Rio de Janeiro: Garamond, pp. 11-18, 2000.

MARQUES-PEREIRA, J. Trabalho, Cidadania e Eficiência da Regulação Econômica: uma Comparação Europa/América Latina. In: THÉRET, B.; BRAGA, J. C. de S. Regulação Econômica e Globalização, Campinas, Instituto de Economia da Unicamp, 1998. Disponível em www.http://rodrigocantu.weebly.com/uploads/2/3/0/7/23070264/marques-pereira_1998_trabalho_cidadania_e_eficiencia_da_regulacao_economica2.pdf. Acesso em 03 out. 2016.

MARX, K. O Capital, Livro I, Vol. II. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.

RAZETO, L. De la Economía Popular a la Economía de Solidaridad en un Proyecto de Desarrollo Alternativo. Ciudad de México: Instituto Mexicano de Doctrina Social Cristiana, 1993.

RAZETO, L. et al. Las Organizaciones Económicas Populares. Santiago: Ediciones PET, 1983.

SANTOS, M. O Espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

SCHIOCHET, V. A experiência da Secretaria Nacional de Economia Solidária: um breve relato. In: LIANZA, S.; HENRIQUES, F. C. (Orgs.) A economia solidária na América Latina: realidades nacionais e políticas públicas. Rio de Janeiro: Pró Reitoria de Extensão UFRJ, 2012.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Sobrevivência das empresas no Brasil, 2016. Disponível em http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/sobrevivencia-das-empresas-no-brasil-relatorio-2016.pdf. Acesso em 22 abril 2018.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Perfil do Microempreendedor Individual 2013. Série Estudos e Pesquisas (2014). Disponível em http://www.sebrae.com.br/estudos-e-pesquisas. Acesso em 08 maio 2018.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA, S. P.; CARNEIRO, L. M. Os novos dados do mapeamento de economia solidária no Brasil: nota metodológica e análise das dimensões socioestruturais dos empreendimentos. Relatório de pesquisa, IPEA, 2016. Disponível em http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/7410/1/RP_Os%20Novos%20dados%20do%20mapeamento%20de%20economia%20solid%C3%A1ria%20no%20Brasil_2016.pdf. Acesso em 27 abr. 2018.

SINGER, P. Elementos para uma teoria de emprego aplicável a países não desenvolvidos. São Paulo, Cadernos CEBRAP n.18, 1970, disponível em: http://bibliotecavirtual.cebrap.org.br/index.php?r=acervos/busca&keyword=paul+singer&Acervos_page=2. Acesso em 20 abr. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2021.n253.p339-358

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cadernos do CEAS: Revista Crítica de Humanidades
CEAS | UCSal | UNICAP
PPG em Políticas Sociais e Cidadania
Av. Cardeal da Silva, 205 – Federação.
CEP. 40231-902, Salvador, Bahia, Brasil.
E-mail: cadernosdoceas@gmail.com
ISSN (online): 2447-861X 

 

INDEXAÇÃO/DIVULGAÇÃO

Bases de Dados/Diretórios

  |  | 

 

Portais

 |   |

 

Filiação/Suporte Técnico/Identificador

 |  | 

 

Plataforma

 

Redes Sociais