O CARÁTER PARADIGMÁTICO DA EXPERIÊNCIA ARTÍSTICA NA ADEQUADA COMPREENSÃO DO DIREITO

Alexandre Santos Bezerra Sá, Francisco Luciano Lima Rodrigues

Resumo


O artigo tem por objetivo investigar o caráter paradigmático da experiência artística para a adequada compreensão do Direito. A partir de uma análise filosófica sobre a verdade, a beleza e a arte, discute-se como a compreensão da experiência artística pode iluminar e facilitar a própria compreensão do Direito. Utilizando-se de pesquisa bibliográfica e do referencial teórico de Hans-Georg Gadamer, faz-se uma análise do discurso utilizado nas artes, mais especificamente na poesia, e o concretizado no âmbito do Direito. Conclui-se que a força da linguagem trabalhada na experiência artística torna o processo de compreensão do Direito mais evidente, já que ambos estão fundados em uma mesma base hermenêutica, que é a filosófica. Propõe-se, consequentemente, que, desvendados os mistérios da compreensão do Direito, o trabalho dos intérpretes deve continuar, no campo das teorias jurídicas, para um fortalecimento dos ordenamentos jurídicos existentes, conforme suas peculiaridades locais.

 

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hanna. A condição humana. 10ª Ed. Tradução de Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

ARISTÓTELES. Poética. São Paulo: Editora 34, 2019.

BAUMAN, Zygmunt. A Cultura no mundo líquido moderno. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BUARQUE, Chico. Uma palavra. In: Uma palavra. Chico Buarque, Voz e violão; Luís Cláudio Ramos, Violão e guitarra; Jorge Helder, Baixo; João Rebouças, piano; Marcelo Bernardes, sopros; Wilson das Neves, bateria; Chico Batera, percussão. Rio de Janeiro: Marola, c. 1995. 1 CD, Faixa 15 (3 min).

CUNHA FILHO, Humberto. Teoria dos Direitos Culturais: fundamentos e finalidades. São Paulo: Edições Sesc, 2018.

DWORKIN, Ronald. O império do Direito. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

UMBERTO, Eco. A definição da arte, tradução de Eliana Aguiar, 1ª edição, Rio de Janeiro, Record, 2016.

FAGNER, Raimundo; BRANDÃO. Beleza. In.: Beleza. Raimundo Fagner, voz, piano elétrico e viola de 10 cordas; João Donato, piano acústico; Manassés, Violão; Luiz Alves, baixo elétrico; Paulinho Braga, bateria; Robertinho do Recife, guitarra, clarinete, flauta; Franklin, flauta transversal e pícolo; José Alves, violino; Alzik Meilllach, violino; Alceu Reis, Cello; Arlindo Penteado, viola. Rio de Janeiro: Sony Music, c2003. 1 CD, Faixa 4 (4,59min).

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método I – Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 9. Ed. Tradução de Flávio Paulo Meurer. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

________________. Verdade e método II – Complementos e Índice. 6. Ed. Tradução de Flávio Paulo Meurer. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

________________. Hermenêutica em retrospectiva. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

________________. Palavra e Imagem: o quão verdadeiro, o mesmo tanto ente. In: GRONDIN, Jean (org.). O Pensamento de Gadamer. São Paulo: Paulus, 2012. p. 311-355.

________________. A verdade da palavra. In: GRONDIN, Jean (org.). O Pensamento de Gadamer. São Paulo: Paulus, 1971. p. 225-261.

HEGEL, G.w.f. Cursos de Estética I. 2. ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2015.

HEGEL, G.w.f. Estética: textos seletos. São Paulo: Ícone Editora, 2012.

OLIVEIRA, Manfredo A. de. Reviravolta linguistico-pragmática na filosofia contemporânea. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2015.

PALMER, Richard E.. Hermenêutica. Lisboa: Edições 70, 2015.

PEART, Neil. Música para Viagem. Caxias do Sul: Belas Letras, 2020.

PESSOA, Fernando. O Poeta Fingidor. São Paulo: Globo, 2009.

PERLINGIERI, Pietro. O direito civil na legalidade constitucional, tradução de Maria Cristina de Cicco, Rio de Janeiro, Renovar, 2008.

PLATÃO. O banquete. São Paulo: Folha de São Paulo, 2010. (5).

________________. Fedro. São Paulo: Folha de São Paulo, 2010. (5).

KANT, Immanuel. Crítica da Faculdade de Julgar. Petrópolis: Editora Vozes, 2019.

RUSSELL, Bertrand. História da Filosofia Ocidental: livro 1 - a filosofia antiga. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

SÁ, Alexandre Santos Bezerra. Direito Como Integridade: Um Caminho Garantista Contra O Ativismo Judicial. Quaestio Iuris, Fortaleza, v. 12, n. 2, p. 444-464, fev. 2019. Disponível em: http://https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/quaestioiuris/article/view/37899/32555. Acesso em: 10 maio 2020.

SALOMÃO, Waly. O mel do melhor. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

SCHELLING, F.w.j.. Filosofia da Arte. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à Estética. 15. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.

TOLSTÓI, Leon. O Que é Arte? Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 2019.

MORAES, Vinicius de. Para viver um grande amor: crônicas e poemas. São Paulo: Companhia da Letras, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Direitos Fundamentais e Alteridade