O reconhecimento dos animais não humanos como sujeitos de direitos personificados à luz do direito brasileiro contemporâneo

Andréa Carolina Leite Batista, Elimar Szaniawski, Giselle Ferreira Sodré

Resumo


O presente artigo tem por objetivo propor o reconhecimento dos animais não humanos como sujeitos de direitos personificados no Direito Brasileiro Contemporâneo, partindo de uma análise acerca da natureza e das categorias jurídicas passíveis de enquadramento desses seres viventes no ordenamento legal pátrio. Para tanto, buscaram-se examinar alguns contornos históricos que, amparados em uma visão antropocêntrica, dão sustento à atual concepção dos animais como coisas. Nesse aspecto, fez-se um breve estudo da legislação civilista, tanto daquela em vigor (Código Civil de 2002) como da já revogada (Código Civil de 1916), para se averiguar qual o tratamento jurídico por ela conferido aos animais. Tomando-se por fundamento o texto constitucional, que positivou a regra da proibição da crueldade contra os animais, demonstrou-se a necessidade de se buscar uma categoria jurídica adequada para a plena efetivação dos direitos dos animais. Assim, perpassando pelas mais variadas possibilidades sistematizadas pela doutrina, chegou-se à conclusão de que a resposta para a “descoisificação animal” está em se reconhecer que os animais não humanos, enquanto seres sencientes dotados de uma dignidade que lhes é própria, são perfeitamente capazes de ocupar uma posição nas relações jurídicas como sujeitos de direitos, como bem se verificou em casos concretos da jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ), sendo, portanto, titulares dos atributos da personalidade. Em linhas gerais, o trabalho foi realizado com base no levantamento de dados extraídos de pesquisa bibliográfica, legal e jurisprudencial, utilizando-se o método dedutivo.


Texto completo:

PDF

Referências


ATAÍDE JUNIOR, Vicente de Paula. Introdução ao direito animal brasileiro. Revista Brasileira de Direito Animal, Salvador, v.13, n.3, p. 48-76, set/dez 2018.

BOFF, Salete Oro; CAVALHEIRO, Luana Rocha Porto. Aproximações entre ética animal e ética da vida. Revista Brasileira de Direito Animal, Salvador, v.12, n.1, p. 108-132, jan/abr 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: . Acesso em 16. jul 2021.

______. Lei nº 3.071, de 1º de janeiro de 1916. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Disponível em: . Acesso em 16. jul 2021.

______. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406.htm#art2045>. Acesso em 16. jul 2021.

______. Lei nº 14.064, de 29 de setembro de 2020. Altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, para aumentar as penas cominadas ao crime de maus-tratos aos animais quando se tratar de cão ou gato. Disponível em: . Acesso em 16. jul 2021.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito civil: parte geral. v. 1. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

COSTA, Caroline Amorim. Por uma releitura da responsabilidade civil em prol dos animais não humanos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018.

DIAS, Edna Cardozo. A evolução dos direitos dos animais na doutrina e na legislação brasileira. Revista Jurídica Luso-Brasileira, Lisboa, ano 3, n. 6, p. 47-79, 2017.

DONALDSON, Sue; KYMLICKA, Will. Zoópolis: una revolución animalista. Traducción de Silvia Moreno Parrado. Madrid: Errata Naturae, 2018.

EPSTEIN, Richard A. Animais como objetos, ou sujeitos, de direito. Revista Brasileira de Direito Animal, Salvador, v.9, n.16, p. 15-45, maio/abr 2014.

FREITAS, Renata Duarte de Oliveira. Animais não humanos: os novos sujeitos de direito. Revista Brasileira de Direito Animal, Salvador, v.8, n.14, p. 101-129, set/dez 2013.

GOMES, Orlando. Direitos reais. 21. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

GONÇALVES, I. R.; CARVALHO, É. R. DE. Repercussão jurídica do projeto De Lei27/2018: Animais como sujeitos de Direito. Universidade Católica do Salvador, p. 1–32, 2020.

GONÇALVES, Monique Mosca. Dano animal. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2020.

GORDILHO, Heron José de Santana; SILVA, Tagore Trajano de Almeida. Animais em juízo: direito, personalidade jurídica e capacidade processual. Revista de Direito Ambiental, São Paulo, v.17, n.65 , p. 333 - 363, jan/mar.2012.

LOURENÇO, Daniel Braga. Direito dos animais: fundamentação e novas perspectivas. Porto Alegre: Sérgio Antonio Fabris Editor, 2008.

MAROTTA, Clarice Gomes. Princípio da dignidade dos animais: reconhecimento jurídico e aplicação. Belo Horizonte: D’Plácido, 2019.

MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Tratado de Direito Privado.v. 1. Rio de Janeiro: Borsoi, 1954.

______. Tratado de direito privado. tomo 1. Campinas: Bookseller, 1999.

NUSSBAUM, Martha Craven. Frontiers of justice: disability, nationality, species membership. Cambridge: The Belknap Press, 2006.

PEREIRA, Thiago Rodrigues; ROCHA, Luiz Augusto C. B. L Marca da. A personificação dos animais como uma questão de dignidade. In LIBRO DE ARTÍCULOS: II Seminario Internacional sobre Democracia, Ciudadanía y Estado de Derecho. MONICA, E. F.; HANSEN, G. L.; SUÁREZ BLÁSQUEZ, G. (Orgs.). - Ourense: Universidade de Vigo, p. 327 – 344, 2020.

REGAN, Tom. Jaulas vazias: encarando o desafio dos direitos dos animais. Porto Alegre: Lugano, 2006

REGIS, Arthur Henrique de Pontes. Vulnerabilidade como fundamento para os direitos dos animais: uma proposta para um novo enquadramento jurídico. Mauritius: Novas Edições Acadêmicas, 2018.

RODRIGUES, Danielle Tetü. O direito e os animais: uma abordagem ética, filosófica e normativa. 2. ed. rev. e atual Curitiba: Juruá, 2008.

SCHREIBER, Anderson. Direito civil e constituição. In: SCHREIBER, Anderson; KONDER, Carlos Nelson (org.). Direito civil constitucional. São Paulo: Atlas, 2016. p. 1-23. E-book.

SILVA, Tagore Trajano de Almeida. Introdução aos direitos dos animais. Revista de Direito Ambiental, São Paulo, v.16, n. 62, p. 141-166, abr/jun.2011. p. 146-147.

STJ. RECURSO ESPECIAL: REsp 1.713.167 SP 2017/0239804-9. Relator: Ministro Luis Felipe Salomão. DJe: 09/10/2018. Data de julgamento 19 de junho de 2019. JusBrasil. 2018. Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/635855286/recurso-especial-resp- 1713167-sp-2017-0239804- 9/inteiro-teor-635855288?ref=topic_feed. Acesso em 14 de julho 2021.

STJ. RECURSO ESPECIAL: REsp 1797175/SP REsp 1797175/SP. Relator: Ministro OJ Fernandes. DJe: 28/03/2019. Data de julgamento 21 de março de 2019. JusBrasil. 2019. Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/692205375/recurso-especial-resp-1797175-sp-2018-0031230-0/inteiro-teor-692205385. Acesso em 14 de julho 2021.

TEPEDINO, Gustavo. Temas de direito civil. 4. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

______. A tutela da personalidade no ordenamento civil-constitucional brasileiro. Rio de Janeiro: Renovar, 2004.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Código Civil Interpretado. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXAÇÃO/DIVULGAÇÃO:

Bases de dados/Diretórios:

 

  

     

  

    

 

Portais:

 

_________________________________________________________

Revista Latino-Americana de Direitos da Natureza e dos Animais

Salvador - Estado da Bahia - Brasil

e-ISSN: 2676-0150

 

Revista Latinoamericana de los Derechos de la Naturaleza y de los Animales

Salvador de Bahía - Estado de Bahía - Brasil

e-ISSN: 2676-0150

 

Latin American Journal of Nature Rights and Animal Law

Salvador - State of Bahia - Brazil

e-ISSN: 2676-0150